Ativistas em prol da empresa

credibilidade-rede-social-em-porto-alegre

As redes sociais deram espaço a um novo perfil de funcionário nas organizações: os ativistas. Eles são colaboradores mais do que engajados, que fazem propaganda ativa da empresa e atuam como seus defensores, online e off-line. Pesquisa da consultoria Weber Sandwick aponta o Brasil como o local com maior número de profissionais engajados entre os 2.300 participantes de 15 países. Ao todo, foram 125 brasileiros. Desse total, 44% são realmente engajados com a companhia.

O levantamento também apontou que 76% dos brasileiros adotam uma postura de defesa em relação às empresas onde trabalham. Identificou ainda que 50% sabem descrever a atividade exercida pelo empregador. A pesquisa mostra que as principais maneiras de incentivar esse comportamento são: liderança, comunicação interna, políticas de RH e responsabilidade social.

Conheça os perfis de ativistas identificados pelo estudo globalmente e avalie se eles estão presentes em sua equipe.

Pró-Ativistas (34%) – Têm as ações mais positivas em relação à empresa e quase nunca agem negativamente. Eles apresentam o nível mais alto de engajamento com o empregador e são os mais sociais.

Pré-Ativistas (23%) – Adotam ações positivas, mas não tanto quanto os anteriores. São mais engajados em ações negativas e não são muito sociais. Possuem um nível médio de engajamento.

HiperAtivos (10%) – São os que possuem maior potencial, tanto para ajudar quanto para denegrir a imagem da organização. Dos entrevistados, metade desse perfil já publicou algo on-line sobre seu empregador e se arrependeu. Contudo, são tão engajados quanto os Pró-ativistas. Dois terços ocupam cargos que envolvem as mídias sociais, por isso são pessoas com alto poder de compartilhar mensagens.

ReAtivistas (16%) – A maioria adota ações positivas, mas têm alta propensão à depreciação da empresa. Possuem nível médio de engajamento e são críticos em relação às condições do local de trabalho. São muitos sociais.

Detratores (6%) – Apresentam atitudes negativas em relação ao empregador. São os menos engajados e os mais desconfiados da liderança. São os menos sociais, por isso a ações ocorrem off-line.

InAtivos (11%) – Mostram pouco ou nenhum comportamento de apoio ou depreciação ao empregador. Apresentam falta de engajamento idêntica aos detratores e é o perfil com menor probabilidade de se esforçar no trabalho. A maioria não sabe explicar a atividade exercida pelo empregador. Para esses, quase nada serve de motivação para realizar um bom trabalho, nem mesmo aumento de salário.

Comentários

(*) Obrigatório, Seu email não será publicado no site